GESTA DO GESTO

marcar eventos listados desmarcar eventos listados

tornar rascunho publicar
{{data.processingText}}
{{numSelectedEvents}} {{numSelectedEvents == 1 ? 'evento selecionado' : 'eventos selecionados' }}

Documentário que expõe um diálogo entre a ancestralidade indígena e o sistema público de ensino no Brasil em 2022 recebe dois prêmios no Silk Road Film Awards Cannes, França, e também no Vancouver Independent Film Festival, Canadá, e no Switzerland International Film Festival, na Suíça.

Focado na cultura indígena genuinamente brasileira, o longa Gesto da Gesto expõe um diálogo entre ancestralidade indígena e o sistema público de ensino no Brasil. De acordo com a diretora Camila, a proposta do documentário é dar materialidade ao gesto, a esta comunicação de uma potência não dita, expressa também pelo corpo do outro e pelo corpo social que pode ocupar-se de si e dos espaços públicos através do movimento. “Inserido na natureza, o gesto se amplifica, esclarece, autentica o sujeito e sua maneira de se movimentar e, portanto, de pensar e sentir o espaço. A sensação é a de ampliação do sujeito em seu gesto num ambiente natural e a redução do sujeito ao espaço formatado para a passagem das massas se movimentarem cotidianamente sem causar danos nem surpresas nesses deslocamentos, de forma que não haja espaço para o encontro, a casualidade, a comensalidade, a partilha, o descanso, a pausa, a contemplação e a presença total sem o incômodo do encaixotamento social”, explica.
A proposta foi enfocar essas diferenças, incluindo cenas de interferências artísticas nos espaços públicos que possibilitam outros sentidos e significados para estes espaços diante da sua logística utilitária.

Descrição

Documentário que expõe um diálogo entre a ancestralidade indígena e o sistema público de ensino no Brasil em 2022 recebe dois prêmios no Silk Road Film Awards Cannes, França, e também no Vancouver Independent Film Festival, Canadá, e no Switzerland International Film Festival, na Suíça.

Focado na cultura indígena genuinamente brasileira, o documentário Gesto da Gesto expõe um diálogo entre ancestralidade indígena e o sistema público de ensino no Brasil. De acordo com a diretora Camila, a proposta do documentário é dar materialidade ao gesto, a esta comunicação de uma potência não dita, expressa também pelo corpo do outro e pelo corpo social que pode ocupar-se de si e dos espaços públicos através do movimento. “Inserido na natureza, o gesto se amplifica, esclarece, autentica o sujeito e sua maneira de se movimentar e, portanto, de pensar e sentir o espaço. A sensação é a de ampliação do sujeito em seu gesto num ambiente natural e a redução do sujeito ao espaço formatado para a passagem das massas se movimentarem cotidianamente sem causar danos nem surpresas nesses deslocamentos, de forma que não haja espaço para o encontro, a casualidade, a comensalidade, a partilha, o descanso, a pausa, a contemplação e a presença total sem o incômodo do encaixotamento social”, explica.
A proposta foi enfocar essas diferenças, incluindo cenas de interferências artísticas nos espaços públicos que possibilitam outros sentidos e significados para estes espaços diante da sua logística utilitária. “O que antes foi natural das ruas como várias brincadeiras de criança e festas comunitárias quase não se vê nos centros urbanos. Cadeiras nas calçadas e fogueiras de São João podem passar desconhecidas pela juventude cibernética. Enquanto as fronteiras virtuais desaparecem, os espaços físicos compartilhados diminuem, são escamoteados, desarticulados, depreciados, quando não engolidos pelo mercado imobiliário. A escola é uma resistência”, enfatiza a realizadora do projeto.
No final da sua produção, o documentário Gesta do Gesto foi contemplado pelo edital Nº 012/2020 da Secretaria Municipal de Cultura, da Prefeitura Municipal de Araçatuba, e do Governo Federal pela Lei nº 14.017, de 29/06/2020, “Lei Aldir Blanc”, recurso recebido para sua finalização.

Ficha Técnica
Produção Executiva e Direção de Produção – Água da Mata Produções Culturais
Direção, Roteiro, Produção, Fotografia, Montagem e Performance - Camila Vinhas Itavo
Edição - Elisa Di Garcia, Th. Caetano e Lalucci Filmes
Animação gráfica - André Luis Moreira
Coprodução, Finalização de cor, Finalização de Montagem e de Arte - Lalucci Filmes
Tradução Kamayurá - Prof. Dr. Wary Kamayurá
Transcrição e tradução Inglês - João Marcos Santiago Monteiro Barbosa e Danilo Olivier Silva Teixeira
Tradução em Libras - Edson Veiga
Trilha sonora
- A Lei da Gravidade, dos Señores
- A boneca de pano, de Marcelo Batistella e Cassio Martins
- Pau d’Arco, de Marcelo Batistella
- Existência, letra de Abelardo Alves, composição e interpretação de Edu Viola
- Trilha Original – Melancolírica – Camila Vinhas Itavo
- Uma Tarde no Norte, de Naná Vasconcelos
SINOPSE
Um defeito da palavra? Mostrar o que não poderia ser dito? Qual o lugar do gesto na contemporaneidade? Em seu movimento se guarda alguma espontaneidade? Um conjunto de fatos históricos gera o esvaziamento do gesto humano que se intensifica com a revolução industrial e o bloqueio da utilização natural das forças produtivas pelas relações de propriedade, gerenciando a perda da comunicação de uma capacidade humana, dissolvendo a potência do gesto na multidão. Em uníssono, a multidão poderia resgatar o valor do gesto humano?
Focado no gesto, em uma perspectiva histórica, e inspirado no cinema marginal e no filme ensaio, o documentário desenvolve um diálogo entre a trajetória da cultura indígena no Brasil pós-colonial e a trajetória do sistema de ensino público no Brasil atual. E expõe como os brasileiros ainda sofrem as decorrências do processo de colonização e exploração na educação, na cultura, nos territórios, nos imaginários. Duração 01:31:40 - Censura 12 anos
Entrevistados
Pajé Takumã Kamayurá, Katsasu Kakamyurá, esposa do Pajé Takumã, Cacique Kotoque Kamayurá, filho do Pajé Takumã, todos da aldeia Kamayurá, Xingu-MT; Conceição Alves Vinhas, 2ª mulher no mundo que teria tirado um brevê de avião, de Araçatuba-SP; Tânia Ribeiro Soares, arquiteta e artista plástica e visual, na Oficina Oswald de Andrade, São Paulo-SP; Wallison Ferreira, secundarista do Lyceu de Goiânia-GO.
Link de acesso: https://youtu.be/rK4y3-_HWac
O longa Gesta do Gesto conta com uma versão com tradução em libras. Conta também com outra versão com transcrição em português, conta ainda com uma versão sem nenhuma tradução, além da versão com tradução em inglês, que foi a enviada no link acima.
Clipping
https://www.hojemais.com.br/aracatuba/noticia/cultura/filme-e-artista-de-aracatuba-sao-premiados-em-festival-frances

https://www.folhadaregiao.com.br/2022/05/01/documentario-de-artista-aracatubense-integra-festival-de-cinema-de-cannes/

https://www.hojemais.com.br/aracatuba/noticia/cultura/artista-de-aracatuba-tem-filme-selecionado-para-o-festival-independente-de-cannes

https://www.hojemais.com.br/aracatuba/noticia/cultura/filme-de-aracatubense-integra-festival-internacional-de-cinema-da-suica

http://screenings.festti.com/

Vídeos

evento entre e Baixar Planilha

Publicado por

Cunhã Pará Potÿ

Produtora artística de bens culturais e de criação, ensino e pesquisa em dança, cinema, audiovisuais.

Nome:

E-mail:

Tipo:

Mensagem:

Enviando mensagem

Enviando mensagem